85ª Corrida Internacional de São Silvestre 2009 – Resultados

#mce_temp_url#A decepção do ano passado se repetiu: pelo segundo ano consecutivo, o Brasil sequer chegou ao pódio da corrida de São Silvestre. Com grande facilidade, os corredores quenianos cumpriram o prometido e dominaram a 85ª edição da disputa, faturando as três primeiras colocações.

O queniano James Kipsang conquistou o bicampeonato da Corrida de São Silvestre e se juntou ao seleto grupo de corredores de seu país que conseguiu vencer duas edições consecutivas da prova. Ele terminou os 15 quilômetros em 44min40s. No feminino, a também queniana Pasalia Chepkorir dominou do início ao fim e assegurou a dobradinha.

O jovem queniano James Kipsang, de 26 anos, vence pela segunda vez consecutiva a Corrida Internacional de São Silvestre em 2009

O jovem queniano James Kipsang, de 26 anos, vence pela segunda vez consecutiva a Corrida Internacional de São Silvestre em 2009

Kipsang foi o primeiro bicampeão consecutivo da prova desde 2000, quando Paul Tergat conquistou três na sequência. Ele se tornou o terceiro queniano a vencer duas seguidas, junto com Tergat e Simon Chemwoyo, bicampeão em 1992-1993. A última dobradinha do Quênia havia sido em 2007, com Robert Cheruiyot e Alice Timbilili.

Já a também queniana Pasalia terminou com 52s30, seguida pela sérvia Olivera Jevtic e pela brasileira Marily dos Santos, terceira colocada pelo segundo ano seguido com 53s35. Maria Zeferina Baldaia e Cruz Nonata chegaram logo atrás e também levaram o Brasil ao pódio.

No masculino, Kipsang chegou à frente dos comaptriotas Elias Chelimo e Robert Cheruiyot. Os colombianos Diego Colorado e William Naranjo completaram o pódio. Assim como em 2008, o melhor brasileiro ficou apenas em oitavo lugar. Clodoaldo Gomes da Silva não superou o resultado de Raimundo Nonato Aguiar no ano passado.

Com o primeiro triunfo de Chepkorir, o Quênia iguala Portugal como país mais vencedor na prova feminina da São Silvestre, com sete títulos cada. As europeias, porém, devem a marca a Rosa Mota, até hoje a grande campeã da corrida, com seis títulos entre 1981 e 1986.

Chepkorir chegou ao Brasil há pouco mais de um mês e neste período também faturou a Volta da Pampulha. A segunda posição da prova feminina ficou com a sérvia Olivera Jevtic. Em terceiro, apareceu a brasileira Marily dos Santos, seguida pela compatriota Maria Zeferina Baldaia.

Veja como ficara os pódios masculinos e femininos da 85ª Corrida Internacional de São Silvestre 2009:

Masculino:
1. James Kipsang (Quênia) – 44m40s
2. Elias Kemboi (Quênia) – 44m58s
3. Robert Cheruyot (Quênia) – 45m30s
4. Diego Colorado (Colômbia) – 45m32s
5. William de Jesus (Colômbia) – 45m36s

Feminino:
1. Pasalia Kipkoech Chepkorir (Quênia) – 52m30s
2. Olivera Jevtic (Sérvia) – 52m59s
3. Marily dos Santos (Brasil) – 53m35s
4. Maria Zeferina Baldaia (Brasil) – 53m58s
5. Cruz Nonata (Brasil) – 54m10s

Se você correu a São Silvestre 2009 e está procurando pelas suas fotos visite o site abaixo:

http://www.webrun.com.br/fotos/commerceft/evento/mostra/idEvento/546

Faltam Poucas Horas para a 85ª Corrida de São Silvestre 2009

Faltam poucas horas para a largada da 85ª edição da Corrida de São Silvestre que ocorre em São Paulo, e tem como favoritos os atletas africanos. Tanto no masculino quanto no feminino. Entre as mulheres, o sentimento de que este ano não será do Brasil na prova é mais presente. O discurso entre os homens, encabeçado por Franck Caldeira, é mais otimista.

A corrida feminina está marcada para as 16h25m e a masculina, às 16h42m. Ao todo são mais de 20 mil inscritos. A São Silvestre terá transmissão ao vivo na Rede Globo e pode ser acompanhada em Tempo Real no GLOBOESPORTE.COM.

- Acho muito difícil um brasileiro chegar. Tem um grupo africano muito forte, principalmente os quenianos, como o James Kwambai. Eu tenho consciência de que este ano não dá para os brasileiros – disse Lauter Nogueira, comentarista de atletismo da TV Globo.

Franck e Giomar são os principais participantes brasileiros na 85ª Corrida de São Silvestre

Franck e Giomar são os principais participantes brasileiros na 85ª Corrida de São Silvestre

O nome a ser destacado entre os participantes brasileiros é o de Franck Caldeira. Patrocinado pelo Cruzeiro, ele conquistou a corrida em 2006 e nos últimos dois anos abandonou o circuito. Essas frustrações querem ser deixadas de lado pelo atleta.

- Este ano eu quero falar menos e correr mais. Não vou ficar preocupado com africanos ou com estratégia. Meu foco é a disputa comigo mesmo. Preciso é vencer isso. O restante é consequência.

Além de Franck, Giomar Pereira da Silva também corre pelo país. Por parte dos africanos, os mais perigosos são os quenianos Robert Cheruiyot, tricampeão da prova, Elias Chelimo e James Kipsang Kwambai, atual vencedor da São Silvestre.

- Eu quero pelo menos o pódio. Confio na minha sequência de provas este ano e tenho certeza que vou conseguir correr de igual para igual com os concorrentes estrangeiros – avisou o baiano Giomar Pereira da Silva, quarto na Maratona de São Paulo de 2009.

Dentre as competidoras de elite na categoria feminina estão as brasileiras Maria Zeferina Baldaia, campeã em 2001, Lucélia Peres, vencedora em 2006, Marizete Rezende, primeiro em 2002, Marizete Moreira dos Santos e Marily dos Santos. As principais estrangeiras são Margaret Okayo e Pasalia Kipkoech Chepkorir, do Quênia, Olivera Jevtic, da Sérvia, e Derartu Tulu, da Etiópia.

- Pretendo fazer o meu melhor, mas se chegar entre as cinco primeiras já será uma grande vitória. Mas só de completar a prova eu já vou estar feliz – declarou Maria Zeferina Baldaia, vencedora da São Silvestre em 2001.

Uma das principais favoritas para a prova feminina é Pasalia Chepkorir, que avisou às concorrentes que vai forte para os 15km.

- Todas nós teremos de correr muito rápido para ganhar a São Silvestre – falou a queniana Pasalia Kipkoech Chepkorir.

Fonte: Globo.com

Contagem Regressiva São Silvestre 2009: Falta só 1 dia! Percurso Quilômetro a Quilômetro

Falta apenas 1 dia para a mais importante corrida de rua do Brasil, a Corrida de São Silvestre. A largada ocorre no dia 31 de dezembro de 2009 às 16h47 na Av. Paulista em frente ao MASP, em São Paulo.

Os kits já estão sendo distribuídos. O último dia para retirada é hoje (30/12/09) até as 17h00. Saiba mais sobre a Retirada dos Kits da São Silvestre aqui.

Confira o percurso quilômetro a quilômetro e prepare-se para fechar o ano conquistando a São Silvestre.

MASP

MASP

Largada: são quase 20 mil corredores se aglomerando para a largada. O tumulto é inevitável. Por isso, chegue com antecedência. Entre 1h30 e 1h00 antes é o ideal. Assim dá tempo de realizar um bom aquecimento, alongar a musculatura e esperar o início com tranqüilidade. Não chegue cedo demais para não prejudicar sua performance devido ao cansaço.

Km 1 e 2: a menos que você esteja no pelotão de elite, tenha muito cuidado nos primeiros 2 quilômetros. Dificilmente você conseguirá correr no ritmo desejado. Com certeza será atrapalhado por outros corredores, pois o tumulto é grande. Vê-se de tudo na largada da São Silvestre. Gente fantasiada, faixas, os famosos corredores de Cerquilho, etc. O importante é ir com calma e evitar um tropeço ou se machucar.

Completa-se o primeiro quilômetro já na famosa Av. Consolação, bem em frente à Faculdade de Belas Artes. Começa então a descida de dois quilômetros entre ela e a também tradicional Av. Ipiranga. Segure a onda. Evite o exagero e conserve energia. Vai precisar!

Av. São João

Av. São João

Km 3 e 4: agora chegamos Av. Ipiranga, passando pela Praça da República e continuamos pela Av. São João, virando na esquina cantada por Caetano Veloso. Encaramos mais 2 quilômetros de descidas. Aguarde. Não se entusiasme, pois tem muito chão ainda.

Elevado Costa e Silva

Elevado Costa e Silva

Km 5 e 6: agora já estamos no Elevado Costa e Silva, o famoso e feioso “minhocão”. Aqui já temos várias pequenas subidas e descidas. Quem não está treinando subidas pode começar a sentir aqui. Outro problema do Elevado é o calor. A proximidade dos prédios evita que o ar circule e se o dia estiver quente esse trecho é muito abafado.

Km 7: a saída do Elevado é feita através da alça formada pelas ruas Marta e Margarida e outras ruelas. Depois disso temos uma subidinha.

Km 8 e 9: na Av. Norma Gianalti e Av. Rudge, você poderá recuperar um pouco o fôlego pois o trecho é plano, porém com pouca sombra.

Km 9 e 10: chegou a hora do Viaduto Rudge. É um trecho complicado devido à inclinação e falta de sombras. Apesar de não ser tão inclinado como a Brigadeiro, esse trecho não deve ser menosprezado.

Viaduto do Chá

Viaduto do Chá

Km 11 e 12: agora você está passando pelo centro de São Paulo, passando pelo Viaduto do Chá e chegando a um pequena subida que termina na tradicional Faculdade de Direito São Francisco da USP.

Faculdade de Direito São Francisco

Faculdade de Direito São Francisco

Km 13: agora é a hora da verdade. Chegamos a temida subida da Av. Brigadeiro Luis Antônio. São praticamente 2,5 quilômetros de subida. Para quem está assistindo na TV é o trecho mais emocionante. Momento de definição para os profissionais.

Km 14 e 15: continua a subida e agora chegamos a parte mais íngrime, logo após o Viaduto Treze de Maio. Nesta parte é preciso perseverança e muita força de vontade. Você está perto demais para desistir agora, portanto reúna toda sua força e aproveite a energia do grande público incentivando.

Finalmente, você chega na parte plana da Brigadeiro ao som de milhares de gritos e assobios. Logo já se avista a esquina da Brigadeiro com a Paulista. É só virar a direita e lá está a tão esperada faixa de chegada.

Muita gente nas arquibancadas lotadas dos dois lados da avenida, pessoas gritando e vibrando, pose para chegada, e finalmente: pronto! Você chegou! Você completou uma São Silvestre!!

Chegada da São Silvestre

Chegada da São Silvestre

A comemoração é contagiante. Gente se abraçando, comemorando, dando risada sozinho. Outros afirmando que nunca mais voltarão, mas com certeza mudarão de planos até que se abram as inscrições para mais um ano de São Silvestre.

Amigos, falta pouco. A ansiedade já vai tomando conta. Boa corrida a todos!

FELIZ ANO NOVO!!

Fortes

Contagem Regressiva São Silvestre 2009: Faltam 4 dias – O Percurso

Amigos Corredores,

Faltam apenas 4 dias para a mais importante corrida de rua do Brasil, a Corrida de São Silvestre. A largada ocorre no dia 31 de dezembro de 2009 às 16h47 na Av. Paulista, em São Paulo, em frente ao MASP.

A partir de hoje (27/12/09) os kits já começam a ser distribuídos. Saiba tudo sobre a Retirada dos Kits da São Silvestre aqui.

É um bom momento para conhecer um pouco melhor o percurso da corrida.

Veja abaixo o mapa do trajeto da Corrida de São Silvestre que passa por vários “cartões postais” de São Paulo, tais como: MASP, Viaduto do Chá, Teatro Municipal, Vale do Anhangabaú, Av. Ipiranga x Av. São João, etc.

Percurso São Silvestre

Percurso da Corrida de São Silvestre

A mais famosa “pegadinha” da Corrida de São Silvestre, desde que o percurso da prova foi invertido em 1988, é a desafiadora subida da Av. Brig. Luiz Antônio, que se estende pelos últimos 3 Km da corrida.

Assim, fique atento para a altimetria da São Silvestre. Veja:

Altimetria da Corrida de São Silvestre

Altimetria da Corrida de São Silvestre

Não deixe de levar isso em conta ao preparar a sua estratégia para a corrida. Veja que a partir do Km 9 o percurso é quase que inteiramente de subida. Assim, guarde energia na primeira metade da prova, senão vai faltar “combustível” no final. Lembre-se, também, de hidratar-se adequadamente durante todo o percurso da São Silvestre.

Abraços,

Fortes
fortes@podcorrer.com

Contagem Regressiva São Silvestre 2009: Faltam 10 dias – Histórico da Corrida

História da Corrida de São Silvestre

Em viagem à França, em 1924, Cásper Líbero assistiu a uma corrida noturna em que os corredores carregavam tochas de fogo. Entusiasmado, resolveu promover, naquele mesmo ano, algo semelhante em São Paulo. Assim, à meia-noite de 31 de dezembro daquele ano, foi instituida a Corrida de São Silvestre.

Cásper Líbero

Cásper Líbero

Recebeu o nome de Corrida de São Silvestre, por que acontece no último dia do ano, dia da morte e canonização do santo do mesmo nome. São Silvestre que foi papa, governou a Igreja de 314 a 355 d.C. Algumas de suas grandes realizações foram o concílio ecumênico de Nicéia, em 325 e a construção das basílicas de São Pedro e São Paulo. Curiosamente, na cidade de São Paulo não existe nenhuma paróquia dedicada ao santo.

São Silvestre

São Silvestre

A prova passou, em mais de 80 anos consecutivos de realização, por inúmeras transformações e cresceu dos apenas 60 participantes da primeira edição até os 20 mil inscritos deste ano, incluindo a presença das maiores expressões do atletismo mundial.

A primeira São Silvestre contou apenas com a participação de atletas paulistanos. Com o crescimento da prova, vieram os primeiros competidores do interior e outros Estados, o que deixou a corrida mais competitiva. Por dezesseis anos, a festa foi reservada aos atletas de São Paulo.

A participação, contudo, ficou restrita aos homens e coube a Alfredo Gomes, atleta do Clube Espéria, escrever o seu nome na história como o primeiro vencedor.

Cásper Líbero era um apaixonado pelo esporte e, mesmo diante das maiores dificuldades, como nas edições de 1932 durante a Revolução Constitucionalista e em plena II Guerra Mundial, não mediu esforços para que a prova acontecesse. Quando faleceu em 1943, a competição já havia conquistado os paulistanos.

Até a sua 20ª edição, a São Silvestre era disputada somente por brasileiros. A partir de 1945, assumiu caráter internacional com a presença de convidados do Chile e Uruguai. Depois, correram pelas ruas de São Paulo atletas americanos, europeus, africanos e asiáticos. Na nova fase, o atletismo nacional saiu-se vitorioso somente nos dois primeiros anos, quando Sebastião Monteiro cruzou por primeiro a linha de chegada.

Em 1947 foi a vez do uruguaio Oscar Moreira, o chileno Raul Inostroza e René Millas ficaram, respectivamente, com os primeiro e segundo lugares em 1948. Em 1949, durante a inédita participação de um campeão europeu, o finlandês Viljo Heino saiu-se vitorioso.

Na década de 50, o principal destaque foi o campeão olímpico Emil Zatopek, da Tchecoslováquia. O lendário Emil Zatopek, conhecido como a Locomotiva Humana, venceu a corridade 1953 chegando 500 metros à frente do segundo colocado. Zatopek tinha em seu currículo três medalhas de ouro nas Olimpíadas de Melbourne, na Austrália, pelas vitórias nos 5000 m, 10000 m e maratona.

Emil Zatopek

Emil Zatopek

O desempenho individual na tradicional competição revelou três tetracampeões em diferentes épocas: o belga Gaston Roelants, ganhador em 64, 65, 67 e 68, o colombiano Victor Mora, que levou os títulos de 72, 73, 75 e 81 e o pequenino equatoriano Rolando Vera, campeão de 86 a 89.

A reação dos brasileiros só aconteceu em 1980, com a emocionante vitória do pernambucano José João da Silva que, em plena avenida Paulista, passa à frente e leva a torcida ao delírio, ao se tornar o segundo brasileiro a ganhar a São Silvestre, desde que ela se tornou internacional. Cinco anos depois conseguiu o bicampeonato.

Outra conquista importante foi a do atleta João da Matta, o corredor mineiro que faturou a 59ª edição. O também mineiro Ronaldo da Costa foi outro de nossos atletas a brilhar nas ruas paulistanas. Ele deixou para trás os favoritos e cruzou na frente a linha de chegada, dando ao país a quarta vitória na fase internacional.

Mas a maior surpresa dos últimos tempos foi o troféu conseguido por Émerson Iser Bem. O desconhecido paranaense virou estrela em 31 de dezembro de 1997, após superar o queniano Paul Tergat, atleta do Quênia considerado o maior ganhador da história da São Silvestre, que obteve uma façanha inédita na prova ao conquistar cinco títulos: 95, 96, 98, 99 e 2000.

Émerson Iser Bem

Émerson Iser Bem vence em 1997

Em 2001, foi a vez do etíope Tesfaye Jifar escrever seu nome pela primeira vez na galeria dos campões. Em 2002, Robert Cheruiyot não deu chances para os concorrentes. Com a sua vitória, o Quênia passou a ser o país com maior número de vitórias desde a fase internacional da Corrida de São Silvestre, com oito títulos.

Marílson Gomes da Silva tratou de empatar o duelo Brasil x Quênia com sua vitória em 2003. Ele disparou no último quilômetro e teve a companhia de outro brasileiro no pódio, Rômulo Wagner, vice-campeão.

Marílson Gomes da Silva

Marílson Gomes da Silva

Quando a ONU instituiu o Ano Internacional da Mulher, em 1975, o jornal A Gazeta Esportiva, organizador da prova e de olho nos acontecimentos mundiais, instituiu a primeira competição feminina, que foi realizada em conjunto com a masculina, mas com a classificação em separado. A campeã da inédita prova foi a alemã Christa Vahlensieck, que voltou para repetir o feito no ano seguinte.

O maior fenômeno da prova feminina, no entanto, despontou na década de 80. A portuguesa Rosa Mota brilhou nas ruas de São Paulo com seis vitórias consecutivas, de 81 a 86. O Brasil também teve a sua representante no lugar mais alto do pódio: Carmem de Oliveira foi
o orgulho nacional, em 95, e Roseli Machado, em 96.

Corredora Portuguesa Rosa Mota

Rosa Mota

Diversas alterações ocorreram na estrutura da São Silvestre a partir de 1989 com o objetivo de aprimorar o seu nível técnico. Inverteu-se o sentido do percurso, separou-se a corrida masculina da feminina dando maior destaque a ambas e alterou-se o horário da prova para o período da tarde. Em 1991, o percurso foi ampliado para 15 mil metros, atendendo às especificações da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) para poder integrar o calendário de provas de rua.

Na sua 85ª edição, a Corrida de São Silvestre de 2009 deve ser dominada novamente pelos quenianos, que faturaram o pódio masculino no ano passado. Mas não custa nada torcer muito para um brasileiro voltar a ganhar novamente essa tradicional corrida. Ou então torcer para algum queniano alucinado bater o recorde de Paul Tergat (43m12s em 1995) que já dura 14 anos.

De qualquer forma, para aqueles que vão participar desejo toda sorte do mundo e uma ótima prova. Só quem já correu a São Silvestre sabe o significado de participar dessa corrida. No ano passado estive lá. Eu sei como é. Infelizmente, não poderei participar este ano. Mas em 2010 estarei lá! Com certeza!

Abraços,

Fortes
fortes@podcorrer.com

Fontes: Wikipedia, Fundação Cásper Líbero e VivaSP

Contagem Regressiva São Silvestre 2009: Faltam 13 dias – Todos os Vencedores e Seus Tempos

Amigos Corredores,

Faltam apenas 13 dias para a 85ª Corrida de São Silvestre (2009). A largada ocorre no dia 31 de dezembro de 2009 às 16h47 na Av. Paulista em frente ao MASP, em São Paulo.

Os kits serão distribuídos a partir do dia 27/12/2009. Não esqueça! Saiba mais sobre a Retirada dos Kits da São Silvestre aqui.

Mantenha os treinos e preparare-se psicologicamente para este árduo desafio.

Inspire-se com os atletas de elite que já ganharam essa prova. Veja, abaixo, a lista completa de vencedores de todas as edições da Corrida de São Silvestre, modalidade masculina e feminina e seus respectivos tempos.

Masculino

Fase Nacional

Ano Atleta País Tempo Distância
1925 Alfredo Gomes Brasil 33min21s 8.8 Km
1926 Jorge Mancebo Brasil 22m35s3 6.2 km
1927 Heitor Blasi Itália 23min 6.2 km
1928 Salim Maluf Brasil 29m11s2 6.2 km
1929 Heitor Blasi Itália 28min39s2 8.8 km
1930 Murilo de Araújo Brasil 25min35s2 8.8 km
1931 José Agnello Brasil 26min05s3 8.8 km
1932 Nestor Gomes Brasil 25min23s02 8.8 km
1933 Nestor Gomes Brasil 23min50s06 8.8 km
1934 Alfredo Carletti Brasil 24min10s2 7.6 km
1935 Nestor Gomes Brasil N/A 7.6 km
1936 Mario de Oliveira Brasil 23min38s04 7.6 km
1937 Mario de Oliveira Brasil N/A 7.6 km
1938 Armando Martins Brasil 23m38s4 7.6 km
1939 Luiz Del Greco Brasil 24m50s4 7.5 km
1940 Antônio Alves Brasil 22m14s 7 km
1941 José Tibúrcio dos Santos Brasil 22min12s 7 km
1942 Joaquim Gonçalves da Silva Brasil 17min02s06 5.5 km
1943 Joaquim Gonçalves da Silva Brasil N/A 5.5 km
1944 Joaquim Gonçalves da Silva Brasil 17min40s02 5.5 km

Fase Internacional

Ano Atleta País Tempo Distância
1945 Sebastião Alves Monteiro Brasil 21min54s 7 Km
1946 Sebastião Alves Monteiro Brasil 21min57s 7 km
1947 Oscar Moreira Uruguai 21min45s 7 km
1948 Raul Inostroza Chile 22min18s2 7 km
1949 Viljo Heino Finlândia 22min45s 7.3 km
1950 Lucien Theys Bélgica 22min37s8 7.3 km
1951 Erik Krucziky Alemanha 22min26s5 7.3 km
1952 Franjo Mihalic Iugoslávia 21min38s 7.3 km
1953 Emil Zatopek Checoslováquia 20min30s 7.3 km
1954 Franjo Mihalic Iugoslávia 23min 7.3 km
1955 Kenneth Norris Grã-Bretanha 22min18s 7.4 km
1956 Manoel Faria Portugal 21min58s9 7.4 km
1957 Manoel Faria Portugal 21min37s4 7.4 km
1958 Osvaldo Suarez Argentina 21min40s3 7.4 km
1959 Osvaldo Suarez Argentina 21min55s8 7.4 km
1960 Osvaldo Suarez Argentina 22min2s1 7.4 km
1961 Martin Hyman Grã-Bretanha 21min24s7 7.4 km
1962 Hamoud Ameur França 22min08s5 7.4 km
1963 Henry Clerckx Bélgica N/A 7.4 km
1964 Gaston Roelants Bélgica 21min37s7 7.4 km
1965 Gaston Roelants Bélgica 21min20s1 7.4 km
1966 Alvaro Mejia Flores Colômbia 29min57s7 9.2 km
1967 Gaston Roelants Bélgica 24min55s 8.7 km
1968 Gaston Roelants Bélgica 24min32s 8.7 km
1969 Juan Martinez México 24min02s3 8.7 km
1970 Frank Shorter Estados Unidos 24min27s4 8.9 km
1971 Rafael Tadeo Palomares México 23min47s8 8.7 km
1972 Victor Mora Colômbia 23min24s2 8.7 km
1973 Victor Mora Colômbia 23min25s 8.7 km
1974 Rafael Angel Perez Costa Rica 23min58s 8.9 km
1975 Victor Mora Colômbia 23min13s 8.9 km
1976 Edmundo Warnke Chile 23min50s8 8.9 km
1977 Domingo Tibaduiza Colômbia 23min55s 8.9 km
1978 Radhouane Bouster França 23min51s6 8.9 km
1979 Herb Lindsay Estados Unidos 23min26s5 8.9 km
1980 José João da Silva Brasil 23min40s30 8.9 km
1981 Victor Mora Colômbia 23min30s2 8.9 km
1982 Carlos Lopes Portugal 39min41s05 13.548 km
1983 João da Mata Brasil 37min39s19 12.6 km
1984 Carlos Lopes Portugal 36min43s79 12.6 km
1985 José João da Silva Brasil 36min48s96 12.6 km
1986 Rolando Vera Equador 36min45s 12.640 km
1987 Rolando Vera Equador 39min02s56 13.040 km
1988 Rolando Vera Equador 36min23s 13.040 km
1989 Rolando Vera Equador 36min45s 13.040 km
1990 Arturo Barrios México 35min57s 12.640 km
1991 Arturo Barrios México 44min47s 15 km
1992 Simon Chemwoyo Quênia 44min08s 15 km
1993 Simon Chemwoyo Quênia 43min20s 15 km
1994 Ronaldo da Costa Brasil 44min11s 15 km
1995 Paul Tergat Quênia 43min12s* 15 km
1996 Paul Tergat Quênia N/A 15 km
1997 Émerson Iser Bem Brasil 44min40s 15 km
1998 Paul Tergat Quênia 44min47s 15 km
1999 Paul Tergat Quênia 44min35s 15 km
2000 Paul Tergat Quênia 43min57s 15 km
2001 Tesfaye Jifar Etiópia 44min15s 15 km
2002 Robert Cheruiyot Quênia 44min59s 15 km
2003 Marílson Gomes dos Santos Brasil 43min50s 15 km
2004 Robert Cheruiyot Quênia 44min43s 15 km
2005 Marílson Gomes dos Santos Brasil 44min22s 15 km
2006 Franck Caldeira Brasil 44min06s 15 km
2007 Robert Cheruiyot Quênia 44min43s 15 km
* Recorde para a atual distância de 15 Km.

Feminino

Ano Atleta País Tempo Distância
1975 Christa Valensieck Alemanha 28min39s 8.9 kms
1976 Christa Valensieck Alemanha 28min36s02 8.9 kms
1977 Loa Olafsson Dinamarca 27min15s 8.9 kms
1978 Dana Slater Estados Unidos N/A 8.9 kms
1979 Dana Slater Estados Unidos 29min07s5 8.9 kms
1980 Heide Hutterer Alemanha 27min48s4 8.9 km
1981 Rosa Mota Portugal 26min45s8 8.9 kms
1982 Rosa Mota Portugal 47min21s 13 kms
1983 Rosa Mota Portugal 43min41s59 12 kms
1984 Rosa Mota Portugal 43min35s57 12 kms
1985 Rosa Mota Portugal 43min00s85 12 kms
1986 Rosa Mota Portugal 43min25s 12 kms
1987 Martha Thenório Equador 46min27s 13 kms
1988 Aurora Cunha Portugal 42min12s7 12.640 kms
1989 Maria Del Carmen Diaz México 43min52s 12.640 kms
1990 Maria Del Carmen Diaz México N/A 12.640 kms
1991 Maria Luisa Servin México 54min02s 15 kms
1992 Maria Del Carmen Diaz México 43min52s 12.640 kms
1993 Hellen Kimayio Quênia 50min26s* 15 kms
1994 Derartu Tulu Etiópia 51min17s 15 kms
1995 Carmem Oliveira Brasil 50min53s 15 kms
1996 Roseli Machado Brasil 52min32s 15 kms
1997 Martha Thenório Equador 52min04s 15 kms
1998 Olivera Jevtic Iugoslávia 51min35s 15 kms
1999 Lydia Cheromei Quênia 51min29s 15 kms
2000 Lydia Cheromei Quênia 50min33s 15 kms
2001 Maria Zeferina Baldaia Brasil 52min12s 15 kms
2002 Marizete de Paula Rezende Brasil 54min02s 15 kms
2003 Margaret Okayo Quênia 51min24s 15 kms
2004 Lydia Cheromei Quênia 53min01s 15 kms
2005 Olivera Jevtic Sérvia e Montenegro 51min38s 15 kms
2006 Lucélia Peres Brasil 51min24s 15 kms
2007 Alice Timbilili Quênia 51min24s 15 kms
* Recorde para a atual distância de 15 Km.

Fonte: Wikipedia